Perguntas Frequentes

O Monero possui valor porque as pessoas estão dispostas à comprá-lo. Se ninguém quiser comprar Monero, então ele não terá valor algum. O preço do Monero aumenta se a demanda é maior do que a oferta, e o preço diminui se a oferta supera a demanda.

Você pode comprar Monero de uma corretora ou diretamente de uma outra pessoa. Também é possível minerar Monero com seu computador e receber a recompensa dos blocos.

A semente mnemônica é um conjunto de 25 palavras que podem ser usadas para restaurar a sua carteira em qualquer outro lugar. Guarde-as de maneira segura e não as compartilhe com ninguém. Você poderá usar essa semente para recuperar sua carteira, mesmo se o seu computador ficar inutilizável.

O Monero utiliza três distintas tecnologias de privacidade: assinaturas em anel, transações confidenciais em anel (RingCT) e endereços sigilosos. Elas ocultam o remetente, o valor e o destinatário de cada transação, respectivamente. Todas as transações da rede são privadas por padrão; não há como enviar acidentalmente uma transação transparente. Esse recurso é exclusivo do Monero. Não é preciso confiar sua privacidade a ninguém.

Se você estiver executando um nó local, é necessário fazer o download o blockchain inteiro. Isso pode demorar, principalmente se você estiver usando um disco rígido antigo ou tiver uma conexão de internet lenta. Se você estiver usando um nó remoto, seu computador ainda assim precisa de uma cópia de todas as saídas (outputs) do blockchain, o que pode demorar algumas horas. Seja paciente. Se você quiser sacrificar parte da sua privacidade para ter acesso mais rápido aos fundos, considere usar uma carteira lite.

Na carteira lite, você fornece a chave de visualização para um nó remoto que escaneia o blockchain e busca suas transações para você. Esse nó saberá quando você recebeu moedas, porém não saberá quanto você recebeu, de quem você recebeu, ou para quem você está enviando dinheiro. Dependendo da carteira que você estiver usando, é possível definir um nó remoto que você possui total controle para evitar vazamentos de privacidade. Para manter tudo o mais privado possível, use uma carteira normal com um nó local.

O Monero não é baseado no Bitcoin. Ele é baseado no protocolo CryptoNote. Bitcoin é um sistema completamente transparente, onde qualquer pessoa pode ver exatamente quanto dinheiro está sendo enviado de um usuário para o outro. O Monero oculta essas informações para proteger a privacidade do usuário em todas as transações. Ele também possui um tamanho de bloco dinâmico, algoritmo de prova de trabalho resistente aos ASICs, emissão das moedas em cauda, entre várias outras diferenças.

Não, o Monero não possui um limite de tamanho programado de forma fixa. Ao invés disso, o tamanho do bloco é alterado de forma dinâmica com o passar do tempo de acordo com a demanda. A velocidade da transição também é controlada para evitar mudanças bruscas.

Um blockchain (em tradução literal: cadeia de blocos) é um sistema que guarda uma cópia de todo o histórico de transações na rede do Monero. A cada dois minutos, um novo bloco com as últimas informações de transações é adicionado ao blockchain. Essa cadeia permite que a rede verifique o valor sendo negociado e faz com que o sistema seja completamente resistente à ataques e tentativas de centralização.

Kovri é um roteador I2P desenvolvido em C++. I2P é uma rede oculta, como o Tor, com várias diferenças técnicas. Kovri é um projeto independente, porém ele funcionará com o Monero e diversos outros projetos. O Kovri oculta a transmissão das transações, assim os outros nós não poderão saber quem foi que criou a transação. Em condições adversas, o Kovri pode ser usado para ocultar todo o tráfego de internet do Monero através do I2P, o que impediria qualquer pessoa de saber que o Monero está sendo usado. Kovri está atualmente em estado alfa, e ainda não foi integrado completamente no Monero. Aprenda mais sobre o Kovri na página oficial do projeto.

Fungibilidade é uma característica do dinheiro que faz com que não haja diferença entre dois montantes do mesmo valor. Se duas pessoas trocarem uma nota de $10 por duas notas de $5, ninguém sai perdendo. Porém, vamos imaginar que todo mundo sabe que essa nota de $10 foi usada no passado em uma negociação de tráfico de drogas. Será que a outra pessoa vai aceitar fazer a troca? Provavelmente não, mesmo se o atual dono da nota de $10 não tiver nada a ver com o caso de tráfico que aconteceu no passado. Isso é um problema real com sistemas transparentes, pois o destinatário da transação necessita constantemente verificar o histórico da moeda para saber se ela já está marcada ou não. O Monero é fungível, o que significa que ninguém precisa passar por isso.

No Monero, cada saída (output) de uma transação é exclusivamente associada a uma imagem-chave que só pode ser gerada pelo detentor da moeda. Imagens-chave que são usadas mais de uma vez são recusadas pelos mineradores como uma tentativa de gasto duplo e por isso não são adicionadas num bloco válido. Quando uma nova transação é recebida, os mineradores verificam que a imagem-chave nunca foi usada antes para evitar o gasto duplo.

Também podemos garantir que os valores das transações são válidos mesmo se eles estão encriptados (tais valores são ocultos para todos, salvo pelo destinatário da transação). Isso porque os valores são encriptados através do Comprometimento de Pedersen, que garante que nenhum terceiro pode saber os valores negociados, mas deixa possível comprovar matematicamente que nenhum Monero foi criado do nada.

Contanto que os valores das saídas (outputs) sejam iguais à soma das entradas (inputs), sabemos que se trata de uma transação legítima e que nenhum Monero foi criado de maneira irregular. O Comprometimento de Pedersen significa que as somas podem ser verificadas como idênticas, mas o valor em Monero de cada soma são indetermináveis.

O Monero não é mágico. Se você usar o Monero, mas fornecer seu nome e endereço para a contraparte, ela não esquecerá essas informações magicamente. Se você distribuir suas chaves privadas, outras pessoas poderão ver suas transações. Se seu dispositivo estiver comprometido, é possível que alguém esteja usando um keylog para rastrear sua carteira e senha. Caso sua senha seja fraca, é possível que alguém faça um ataque de força bruta para acessar os arquivos da sua carteira. Se você fizer o backup na nuvem da sua semente mnemônica, sem encriptá-la, é possível que você fique mais pobre em breve.

Não existe nada 100% anônimo. Seu conjunto de anonimato é o conjunto de pessoas utilizando o Monero. É possível que o Monero tenha bugs. Mesmo que ele não tenha, podem haver maneiras de inferir informações em alguma das camadas de privacidade da moeda, seja agora ou no futuro. Os ataques e hacks estão sempre ficando melhores. Mesmo se você usar um cinto de segurança é possível morrer num acidente de carro. Use e abuse do bom senso e seja excessivamente prudente.

Esta página ainda não está traduzida. Se você gostaria de ajudar a traduzi-la, por favor veja a README.